Camila Queiroz revela que nunca teve fase solteira: 'Eu preciso ter alguém'

Com casamento marcado para este ano com Klebber Toledo, Camila Queiroz admitiu que nunca conseguiu ter uma fase solteira. “Não consigo ficar (solteira). Sou canceriana. Eu preciso ter alguém, ficar coladinha, sou bem apegada”, disse em entrevista para Matheus Mazzafera no Youtube. Segundo a atriz, até o primeiro beijo virou um relacionamento sério: “Foi com 15 dias para fazer 16 anos. Foi com um menino que depois namorei 4 anos. Em uma apresentação de balé”.

Atriz revela que ‘enrolou’ Klebber Toledo: ‘Não sabia se queria ficar junto’

Camila assumiu que demorou a engatar a relação com Klebber porque estava separada há pouco tempo: “Eu tinha acabado de terminar um relacionamento longo. Eu tava querendo paz. Quando a gente termina, a gente não quer começar outra coisa rápido. Foi o que estava sentido naquela fase. Estava desprendida de tudo. O Klebber começou a chegar e eu tinha uma implicância porque ele era muito perfeito. Mas comecei a olhar com outros olhos. Eu enrolei o Klebber. Eu não sabia se queria ficar junto”.

Artista conta o que comprou com 1º cachê: ‘Notebook’

Aos 14 anos, Camila começou a trabalhar como modelo e lembrou o que comprou com o primeiro cachê: “Eu juntei e comprei notebook. Na época só rico tinha notebook. À vista. Dois mil reais”. E disse qual foi sua última aquisição: “Minha casa. Evoluí, né?”. Aliás, Camila e Klebber moram juntos na propriedade. Anteriormente, a atriz contou que só ia morar com o noivo após oficializar a união.

Camila reduz rotina fitness: ‘Não tem que ser uma obrigação cuidar do corpo’

Para a “Women’s Health” de novembro, Camila contou que tem intensificado os treinos: “Estou começando a enxergar os resultados. Ganho um músculo aqui, outro ali. Tem que ter paciência e vontade de fazer. Meu foco é perna, barriga e bumbum“. Porém, por causa das gravações de “Pega Pega”, que chegou ao fim em janeiro, a atriz precisou diminuir o ritmo de malhação. Mas garantiu que não ficou pressionada à retomar as atividades físicas: “Não tem que ser uma obrigação cuidar do corpo, tem que ser prazeroso. Não me cobro tanto assim, deixo isso entrar de forma natural na minha rotina. A partir do momento que eu impor que tenho que malhar, que tenho que ir na academia, vai deixar de ter prazer, gostar de fazer”.

(Por Tatiana Mariano)

Purepeople – Todas as

Compartilhar