Vítima na TV, Adriana Esteves assume que já sofreu assédio: 'Infelizmente'

Longe das telinhas desde “Justiça” (2016), Adriana Esteves voltará à TV na série “Assédio”, sobre a história do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 181 anos de prisão por 48 estupros. Na produção protagonizada por Antonio Calloni e marcada pelo retorno de Vera Fischer à Globo, a atriz será uma das vítimas de Abdelmassih. Em entrevista a Bruno Astuto, a artista assumiu que já sofreu com assédio: “Eu não conheço quem nunca tenha sofrido. E não falo só de mulheres, mas de meninos. E afirmo que, sim, infelizmente, sofri. Em todo o crescimento, desde a escola até o início da vida profissional, existe isso cerceando”.

Atriz elogia discurso de Oprah Winfrey: ‘Foi sensacional’

Em meio a denúncias de assédio em Hollywood, Adriana elogiou os protestos realizados no Globo de Ouro. Como o depoimento para exaltar a força feminina de Oprah Winfrey e as atrizes que decidiram usar preto no tapete vermelho em forma de manifestação: “A gente quer se preservar, tem medo, não sabe até quando isso vai fazer parte da vida, mas os tempos estão mudando: Time’s up! O discurso da Oprah no Globo de Ouro foi sensacional, resume o assunto de forma importante”.

Artista conta como escolhe seus papéis: ‘Histórias que me interessam’

Adriana tem muitos projetos para 2018. Além de “Assédio”, ela fará a divulgação do filme “Benzinho” e fará a preparação para a novela “Segundo Sol”. Questionada, a atriz explicou como escolhe seus trabalhos: “Preciso saber quem são as pessoas que querem trabalhar comigo, se têm histórias que me interessam. Nunca enrolo convite. Logo vejo o roteiro e já sei se quero. Minha identificação com os temas e assuntos que fazem parte dos meus pensamentos e das minhas angústias me puxam”.

Adriana está esperançosa com ano eleitoral: ‘Hora de correr atrás de amadurecimento’

Com novas eleições em 2018, Adriana se mostrou otimista com a possibilidade de eleger novos políticos para o país: “Vejo o Brasil sempre com esperança. Ainda bem que já chegamos a 2018, porque agora vamos ter, enfim, definições. É hora de correr atrás de amadurecimento. Que a gente consiga, por tudo que está passando de ruim, atingir essa maturidade na hora de votar. Já está havendo a limpeza”.

(Por Tatiana Mariano)

Purepeople – Todas as

Compartilhar