Nova testemunha acusa a Globo de pagar propina por direitos de transmissão no futebol

Globo, Marín e Del Nero: unidos pela propina, segundo delator (Foto: Reprodução)
Globo, Marín e Del Nero: unidos pela propina, segundo delator (Foto: Reprodução)

A situação da Globo perante a justiça internacional vem ficando complicada nas últimas semanas. Isso porque o canal vem sendo acusado por executivos de pagar propina em troca de direitos de transmissão de campeonatos de futebol.

Uma nova peça chave do processo, que julga o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, ressaltou o que Alejandro Burzaco já havia antecipado em seu depoimento.

Ex-braço direito do empresário, José Eladio Rodríguez contou que a offshore T&T foi criada na Holanda para receber pagamentos de grupos de mídia que seriam posteriormente desviados aos chefes do futebol. Entre os grupos citados, estava a Globo.

Ele acusou os ex-presidentes da CBF José Maria Marim e Ricardo Teixeira, além do atual, Marco Polo Del Nero, de terem sido beneficiados com os pagamentos.

+Apocalipse registra pior primeira semana de novela bíblica da Record

Procurado pelo jornal Folha de S.Paulo, o Grupo Globo voltou a negar envolvimento com propina.

“O Grupo Globo comprou em boa fé os direitos da Copa Libertadores da empresa T&T Holanda, então detentora dos direitos. O Grupo Globo está muito surpreso com as alegações feitas no julgamento de que aquela empresa era usada para o pagamento de propinas a terceiros e reafirma que não tolera nem paga propinas”.

GLOBO JÁ HAVIA SIDO CITADA NO ESQUEMA

Uma delação premiada no caso que investiga a Fifa na Justiça dos Estados Unidos está atingindo em feio a Globo. O empresário argentino Alejandro Burzaco, ex-diretor da empresa de eventos esportivos Torneos y Competencias, afirmou em depoimento à Justiça norte-americana que a emissora pagou propinas para conseguir direitos de transmissão de campeonatos de futebol.

As autoridades estadunidenses investigam o esquema que envolve a Fifa e outras federações, que recebeu o apelido de “Fifa Gate”. O dinheiro pago pela Globo teria sido destinado a altos executivos da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e da Confederação Sul-Americana de Futebol, a Conmebol, responsável pela Copa Libertadores da América e a Copa América, segundo informações do Buzzfeed e El País.

Além disso, ele também citou a Televisa, canal mexicano responsável por diversas atrações que passam hoje no Brasil, como o Chaves e Carinha de Anjo. O empresário argentino citou a Fox Sports dos Estados Unidos, Televisa do México, Media Pro da Espanha, TV Globo do Brasil, Full Play da Argentina e Traffic do Brasil, como participantes ativas do esquema.

Curta o TV Foco no Facebook!


TV Foco

Compartilhar