Zezé Motta critica campanha de papel higiênico preto e pede: “Respeito, por favor!”


Zezé Motta (Foto Divulgação)

Está gerando uma polêmica e uma grande discussão na internet o famoso papel higiênico preto que, em tese, serviria para decoração. Mas, a questão se tornou também racial.

Tudo por causa do slogan “Black Is Beautiful”, usado por militâncias negras nos EUA nos anos 60 e 70. Esse caso do papel seria, portanto, apropriação cultural.

E a atriz Zezé Motta, que está no elenco de O Outro Lado do Paraíso, meteu o dedo nessa ferida e deu sua opinião sobre a campanha.

+ Marina Ruy Barbosa se pronuncia após ser chamada de racista e apagar campanha do perfil

“Não estou aqui para julgar uma atriz que faz campanha enrolada em um papel higiênico preto. Cada um faz e aceita o trabalho que melhor lhe convém”, iniciou Zezé.

“Um grupo de militantes negros ficou chocado. Era o auge do ‘Black is Beautiful’, e a gente tinha que manter as características originais da raça”, disse ela, sobre uma vez quando, em 1969, usou uma peruca de cabelos lisos em uma peça nos EUA.


Zezé Motta esteve no elenco de “Boogie Oogie” (Foto: Divulgação)

“Reparava que os negros americanos andavam de cabeça erguida. Não tinha essa postura subserviente que eu sentia no Brasil e em mim mesma. Essa viagem teve essa importância de fazer com que eu enxergasse meu país de fora. Voltei ao Brasil. E cheguei pensando: Agora ninguém me segura”, disse.

“Para uns pode parecer bobagem, mas para mim e para milhares de negras que viveram em plena década de 70, ‘Black is Beautiful’ foi algo extraordinário, passamos a nos aceitar, a nos empoderar. E não posso achar interessante uma campanha de papel higiênico preto (tá, tudo bem, sem nenhum problema, pois preto é uma cor, até aí, nenhuma ‘criatividade’ como essa me choca mais), ser VENDIDA COMO BLACK IS BEAUTIFUL. RESPEITO, POR FAVOR”, pediu a atriz.

Curta o TV Foco no Facebook!


TV Foco – Audiência da TV, Notícias da TV e Famosos

Compartilhar