Partidário da falsa narrativa do golpe, Boulos pediu que reunião com Padilha não fosse filmada

Na semana passada, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto Guilherme Boulos se uniu com o ministro da Casa Civil Eliseu Padilha. Para evitar acusações, Boulos pediu ao cerimonial que não registrasse imagens da reunião em fotos ou vídeos, já que Boulos é militante de extrema-esquerda e partidário da falsa narrativa do golpe. Supreendentemente, o ministro Padilha atendeu o pedido – contrariando as regras de publicidade e transparência do governo.

O episódio está causando grande constrangimento ao governo Michel Temer, já que além de ser um dos líderes da extrema-esquerda e ser partidário da falsa narrativa do golpe, Boulos lidera um movimento que mantinha um controverso convenio com o governo federal por meio do programa Minha Casa, Minha Vida – chamado Minha Casa, Minha Vida Entidade.

O governo Temer chegou a suspender os repasses por recomendação do Ministério Público Federal, que apontou irregularidades no projeto, inclusive o uso político dos movimentos sociais, que selecionavam os beneficiários usando o engajamento político como critério para selecionar os beneficiários. Ainda assim, o governo recuou após um violento protesto do MTST em São Paulo.

JORNALIVRE

Compartilhar